Carregando...
Siga-nos nas Redes Sociais
Notícias

16/08/2018

Maioria da Câmara aprova construção de heliponto em área institucional da zona rural

Bairro dos Leandros

Durante a sessão ordinária, os vereadores discutiram e votaram o projeto de lei nº 051/2018. Ele autoriza a Prefeitura a conceder área institucional para abrigar um heliponto em loteamento localizado no bairro rural Leandros. A maioria dos vereadores é favorável ao projeto por acreditar que o alto investimento movimentará a economia carmelitana e aumentará o número de empregos. A área institucional em questão mede 5211 m² e o período de concessão é de 20 anos.

O empresário responsável pelo empreendimento, senhor Vanildo Pereira da Silva, usou a tribuna da câmara. Disse que é da cidade de Jaguariúna e que está no ramo imobiliário há mais de 40 anos. Possui propriedade no bairro Leandros onde está com a construção do loteamento aprovada. Pretende transformar o empreendimento, localizado à beira do lago de Furnas, em algo que possa atrair pessoas com poder aquisitivo alto e, por isso, disse ser importante a construção do heliponto. Senhor Vanildo destacou que a região é forte para turismo, mas falta trabalho e investimento. “Carmo precisa se descobrir. Vocês me desculpem, mas Carmo precisa ser descoberto. Então, o que nós resolvemos fazer é um empreendimento diferenciado. É colocar um heliponto lá dentro, porque, se eu trago o heliponto, eu trago pessoas diferentes”, disse.

Além do heliponto, pretende construir uma marina fazendo do empreendimento um investimento diferente dos loteamentos comuns.

Apenas o vereador Inácio Roberto Lopes (Inacinho dentista) manifestou-se contra ao projeto. Analisou que a área de 5.211 m² é muito grande para a construção de um heliponto, que não abriga hangares. Disse que os empreendedores estão com receio de perder a exclusividade dessa área, que poderia ser utilizada pela Prefeitura futuramente. “Eu acho que vocês não devem votar a favor desse projeto. Vão usar uma areazinha quadradinha assim para pegar cinco mil metros de terreno. Eles querem pegar exclusividade lá, gente. Então, eu sou contra isso, porque cinco mil metros quadrados é muita terra”, disse.

Os vereadores Filipe Carielo e Angela Vitor pediram que seja enviado à Câmara um projeto do heliponto para que eles tenham condições de visualizar o que está sendo aprovado. “Vocês precisam apresentar um projetinho para a gente rpoder ter mais confiança naquilo que nós estamos investindo, porque, querendo ou não, é um terreno do município. Nós estamos fazendo uma concessão de um terreno que é da nossa população carmelitana e a gente precisa zelar por isso”, disse a vereadora que concorda que a área é grande para o heliponto, mas disse que cessão de um espaço menor inviabiliza a construção de algo pela Prefeitura que terá que cuidar do local.

O vereador Filipe Carielo absteve-se do voto até receber um edital mais detalhado que garanta o mínimo de qualidade ao empreendimento. “A minha preocupação realmente é da gente conseguir vislumbrar o projeto como um todo para a gente saber o que será construído nessa área. Podemos sim ser a favor e aprovar, mas desde que a gente tenha ciência do que a gente está votando. Se é possível fazer em 320, 500 metros quadrados, quer dizer que nós vamos ter aproximadamente quatro mil e setecentos metros para construir um hangar, construir estacionamento de veículos. É importante a gente ter essa ciência para poder votar com tranquilidade”.

Os outros vereadores destacaram o desenvolvimento que esta obra trará para a cidade, em diversos setores. “Eu acho que é tão raro um município do tamanho de Carmo do Rio Claro ter a oportunidade de crescer, ter a oportunidade de receber um empreendimento dessa monta, independente de quem seja o empresário que vai construir. '- Ah, mas é para uma parcela específica', mas essa parcela específica ela gera emprego no município, muito mais que uma outra parcela”, observa o vereador João Paulo Castro Ferreira.

O vereador Juliano Alves da Silva (Pão de Queijo) disse que está na hora de tentar acertar e trazer um futuro melhor para a cidade. “A gente quer um Carmo melhor para os nossos filhos, queremos que eles fiquem dentro da cidade com trabalho, com saúde, educação. Espero que um projeto que a gente sabe que vai ter um alto gasto, traga receita para o município. Capitólio é um bairro do nosso município e está anos-luz a frente do Carmo”

Quem dera se tivesse mais empresários querendo investir em Carmo do Rio Claro. Há 30 anos, tinha campo de avião aqui no Carmo. Então, passou da hora. Carmo está parado, mas, se Deus quiser, vai começar a andar”, disse o vereador Sandro Deoclécio de Oliveira (Sandro Pescador).

Paulo Marcelo Silva (Paulão) destacou o desenvolvimento que este empreendimento trará também para a zona rural. “Hoje eu já estou vendo o desenvolvimento rural junto da cidade. Nós não podemos pensar no crescimento só da cidade, temos que dar oportunidade para o pessoal do campo crescer”.

Eu sou favorável ao projeto. O que é bom para o Carmo, vamos votar, porque isso vai trazer mais pessoas, mais empresários, mais investimentos para no Carmo”, disse o vereador João dos Reis Vilela (João do Tiãzoão) que convidou o empresário a visitar o Distrito da Vilelândia e procurar investir também naquela região.

O Presidente da Câmara José Joaquim Silva (Zé Pequeno) destacou os benefícios que um condomínio no porte em que está sendo proposto trará para várias áreas da cidade. “No meu entendimento, a gente tem que pensar no futuro, a gente não pode pensar lá atrás não. A gente tem que pensar no desenvolvimento. Esse projeto vai trazer muito serviço para o pessoal do Carmo, o comércio vai melhorar, pessoal do artesanato vai vender”. Ele não precisou votar nesta questão mas manifestou-se favorável à aprovação.

O projeto foi aprovado em primeira votação por seis votos. Teve uma abstenção e um voto contrário.

Veja também

PORTAL DA CÂMARA MUNICIPAL DO CARMO DO RIO CLARO
Rua Monsenhor Mário, 365 - CEP 37.150-000
Telefones: (35) 3561-3613 . (35) 3561-3730 . Telefax: (35) 3561-2390