Carregando...
Siga-nos nas Redes Sociais
Notícias

26/09/2017

Denúncias atraem suspeitas de que esgoto não está sendo tratado

Material foi levado ao MP

Os vereadores Juliano Alves da Silva (Pão de Queijo) e Sandro Deoclécio de Oliveira (Sandro Pescador) foram acionados nesta terça-feira (26) por moradores do Bairro São Benedito incomodados com o mau cheiro vindo do córrego que passa pelo bairro. Ao chegarem no local, eles encontraram funcionários da COPASA que, aparentemente, estavam desentupindo a rede de esgoto e jogando os dejetos no córrego em vez de enviar para tratamento.

Diante da situação encontrada, os vereadores ficaram indignados. Hoje, mais de 90% da população paga quase que o dobro do valor da sua conta de água, destinando este dinheiro para custear o serviço de tratamento de esgoto. No entanto, eles se depararam com o esgoto que deveria ser tratado correndo pelo córrego. “É um descaso com a população, com o meio ambiente. Isso é um absurdo. Todo esse tempo que a COPASA vem cobrando esse tratamento nosso, é um dinheiro que a gente está pagando injustamente, tirando da boca dos filhos do pobre, dos fazendeiros, de todo quanto é tipo de gente para não ter esse tratamento feito direito”, disse o vereador Sandro Pescador.

A população está muito insatisfeita com o valor que vem sendo cobrado e principalmente por não ter o serviço sendo prestado por completo. Como as instalações para coletar o esgoto de toda cidade ainda não estão prontas, parte do esgoto continua sendo despejado nos córregos in natura, continuando a contaminar as águas.

 

Outras denúncias

Desde a quinta-feira (21), os vereadores Juliano Pão de Queijo e Sandro Pescador estão apurando uma outra denúncia: de que o esgoto estaria saindo da Estação de Tratamento in natura, ou seja, sem tratamento. Eles estão percorrendo as imediações do córrego da Barra, localizado perto da ETE, para ver se há procedência.

Na sexta-feira (22), Pão de Queijo e Sandro também receberam denúncia de que peixes estavam morrendo no córrego que passa pela região da Vargem. Eles acionaram a Polícia Ambiental e, junto com o Tenente Aguiar e o Sargento Paulo, resgataram mais de 100 peixes – tilápia, bagre e mandi – que foram levados para a represa de Furnas. “Mais uma vez uma denúncia da população, esgoto a céu aberto, sujeira, pneus e está aí, o meio ambiente não está aceitando mais, não está dando conta. Os peixes morrendo pela poluição da água do esgoto e a nossa COPASA querendo cobrar 100% [pelo tratamento do esgoto], isso é um absurdo. Já chamamos a Polícia Ambiental, ela está a caminho e a gente está denunciando mais este descaso aqui com o meio ambiente”, disse Pão de Queijo.

Ele defende que a COPASA hoje é a maior poluidora do município e que a empresa tem obtido lucro com atividades degradantes e a principal causa é a omissão da empresa em concluir a obra. Juliano disse que a essência do contrato entre COPASA e Município é o tratamento do esgoto, mas o cidadão está pagando para a empresa poluir os córregos da cidade.

Os vereadores fizeram diversos vídeos da situação encontrada por todos os lugares em que passaram e foram até o Ministério Público. O Promotor já está com o material em mãos encaminhando as providências necessárias.

O material também será encaminhado à Comissão Especial de Inquérito da Cada Legislativa que está averiguando o contrato e o serviço prestado pela Companhia de Saneamento. 

Veja também

PORTAL DA CÂMARA MUNICIPAL DO CARMO DO RIO CLARO
Rua Monsenhor Mário, 365 - CEP 37.150-000
Telefones: (35) 3561-3613 . (35) 3561-3730 . Telefax: (35) 3561-2390