Carregando...
Siga-nos nas Redes Sociais
Notícias

26/07/2017

Prefeitura solicita devolução de projeto que pede parcelamento de dívida

Os vereadores adiaram a votação por duas vezes

Na tarde desta quarta-feira (26), o Prefeito Tião Nara enviou ofício ao Presidente da Câmara Juliano Pão de Queijo solicitando a devolução do Projeto de Lei nº 036/2017 que solicitava autorização para o Poder Executivo firmar parcelamento de dívida junto ao INSS em 200 meses.

O Prefeito justifica que a Administração não tem mais interesse em fazer o parcelamento diante das projeções extraoficiais (não confirmadas pela Receita Federal, já que a simulação de parcelas só seriam feitas depois que fosse firmado o parcelamento) que estimam um aumento do valor pago pela dívida. “[…] foi estimado de forma aproximada que o valor extrapolaria em muito o valor inicial estimado, o que retira deste projeto a conveniência e oportunidade, em decorrência de ausência de interesse público a ser confirmado este cenário projetado extraoficialmente”, diz o ofício.

O Presidente da Câmara Juliano Pão de Queijo comemorou a decisão que, em sua visão, seria prejudicial para a cidade a longo prazo. “Foi uma decisão acertada do Poder Executivo que se atentou para o fato de que o município futuramente pudesse entrar em uma dívida impagável. Isso mostra mais uma vez que a Câmara Municipal, representada por seus vereadores, acertou em não votar de forma afobada esse projeto de lei tão polêmico”, disse.

Os vereadores vêm discutindo esse projeto desde a semana passada. Na tarde de ontem (quarta-feira, 25), eles reuniram-se em extraordinária para votação, mas optaram por adiá-la. Outra extraordinária estava marcada para a quinta-feira (27) e nesta os vereadores deliberariam de modo definitivo, já que o prazo para parcelamento termina no dia 31 deste mês. Com a devolução do projeto, a votação não será mais necessária.

O parcelamento

Os vereadores estavam cautelosos e procurando mais informações para votar o projeto. A dívida atual do município com o INSS é de R$5.682.700,48. Ela já foi parcelada em 60 meses, faltando 42 meses para ser quitada, 42 parcelas fixas de R$128.200,84.

O Governo Federal aprovou uma Medida Provisória que permite que os municípios parcelem suas dívidas junto ao INSS em 200 meses. Esse parcelamento traria uma economia inicial de R$100 mil por mês. No entanto, essa diferença tende a desaparecer com o passar dos anos e o valor pago ao INSS tende a dobrar. As parcelas, nesta condição, não são fixas, pois variam de acordo com a taxa SELIC.

De acordo com projeções apresentadas pelos vereadores, o valor pago por uma dívida de R$5 milhões 400 mil poderia passar para R$13 milhões. O benefício do parcelamento estava em pagar uma parcela inicial menor, sobrando recurso para ser aplicado em prol do município.

Veja também

PORTAL DA CÂMARA MUNICIPAL DO CARMO DO RIO CLARO
Rua Monsenhor Mário, 365 - CEP 37.150-000
Telefones: (35) 3561-3613 . (35) 3561-3730 . Telefax: (35) 3561-2390